Por trás das câmeras: como direção de arte e cenografia enriquecem o conteúdo audiovisual

Pense rápido: quando você ouve falar sobre a produção de um filme, que elementos vêm à sua cabeça? Roteiro? Escolha dos atores e atrizes que serão designados para cada personagem? Trilha sonora? Câmeras e microfones para gravar? Todos esses elementos são, sem sombras de dúvidas, essenciais na produção de conteúdo audiovisual.

Mas há mais, muito mais, até que se chegue ao resultado que vemos nas telinhas (ou nas telonas). Você sabe, por exemplo, qual o papel da direção de arte, cenografia e pintura de arte para a produção do audiovisual?

Conforme a diretora de arte e produtora Maiara Fantinel, a direção de arte é essencial para qualquer produção audiovisual, seja ela um filme, peça publicitária audiovisual ou videoclipe. Mas por que ela é tão importante? Simples, pois é por meio dos detalhes nos cenários, objetos, figurinos, maquiagem, todos balizados pela direção de arte, que a produção passa ao espectador a mensagem que deseja.

Da mesma forma atuam a cenografia e a pintura de arte, “visto que são elementos visuais que remetem o espectador ao ambiente em que se passa a história e no qual vivem as personagens. Portanto, é pensando em cada detalhe que esses ambientes serão criados e darão verossimilhança ao filme”, explica Maiara.

Essa é uma área, conforme Maiara, que exige muitos profissionais e um grande investimento dos recursos do projeto. Porém, com os recursos cada vez mais escassos, os profissionais precisam buscar soluções criativas para fazer mais, com menos.

“Acho que o maior desafio no momento em que vivemos é realmente produzir cinema. Vivemos em um tempo em que a arte é questionada e tratada como algo descartável e de menor valor na sociedade. A todo momento governantes e pessoas não ligadas a área tratam a cultura em segundo plano, e reproduzem discursos sobre diminuição de investimentos e fechamento de órgãos. Isso é muito preocupante e acho que ainda não temos dimensão de todas as consequências que isso nos trará”, afirma.

A boa notícia é que é possível realizar diversas intervenções que podem enriquecer um filme e que não possuem altos custos, como o processo de envelhecimento de materiais, por exemplo. Esses procedimentos simples, mas eficazes, serão apresentados durante o 1° Festival de Cinema de Santa Cruz do Sul, por meio da oficina “Da concepção ao set: direção de arte, cenografia e pintura de arte”, ministrada por Maiara.

“A oficina abordará a direção de arte de maneira mais geral, cenografia e também pintura de arte. Para isso, além de fazer uma conversa sobre direção de arte e cenografia, vou propor exercícios práticos de intervenção em objetos. A ideia é praticar alguns procedimentos simples e que possam auxiliar quem se interessa pelo trabalho, em futuros projetos”, destaca.

O público-alvo da oficina são estudantes de audiovisual, mas pessoas que se interessam pela área e querem saber mais sobre também estão convidadas a participar. A oficina será gratuita e ocorre no dia 23 de outubro, a partir das 14 horas.

Para se inscrever, clique aqui.

Maiara deixa como dica para quem deseja seguir pela área de direção de arte, além de sempre buscar conhecimentos específicos da área, estar aberto às diferentes expressões artísticas, como artes visuais, fotografia, dança, entre outros. “É uma área que as referências são múltiplas e quanto mais se buscar outras experiências, mais enriquecedor será o trabalho”, pontua. Para finalizar, diz que é preciso estar disposto a pesquisar muito a cada novo projeto.

 

Deixe uma resposta