Debate sobre a representatividade de negros e LGBTs no cinema marca segunda noite de festival

Como na noite de abertura, quem prestigiou a segunda exibição da mostra competitiva do Festival de Cinema de Santa Cruz do Sul pode acompanhar o debate com os diretores e atores dos curta-metragem apresentados na noite de Quarta-feira, 24. Os convidados para esse bate-papo foram Nando Cunha(telentrega), Fred Luz e Carla Elgert (Intimidade), Bruno Rubim (Lençol de inverno) e Sara (quebra cabeça de Sara).   

A mediação ficou a cargo da fotografa Santa Cruzense Dulce Helfer, que propôs que todos os convidados contassem sua trajetória no cinema. Fred Luz foi o primeiro a falar, e contou um pouco de sua experiência profissional. Ele que é natural de Santa Cruz do Sul comenta que seu interesse pelo cinema começou desde muito pequeno, pois sua avô e mãe são professoras e contadoras de história de feiras do livro.    

Sara, que contracenou o curta O quebra-cabeça de Sara, conta que a história do filme é real, que isso aconteceu com ela. Segundo atriz, ela levantou a bandeira branca sobre assunto: “temos que dar o sinal de vida para o problema, eu e minha filha estamos conversando, caminhando juntas”, comenta.  

Dulce comenta que ainda é muito se falado sobre o papel do negro no cinema. Segundo ela, o mundo não evoluiu, pois não deveria ser discutido mais sobre esse assunto. Nando Cunha fala que ainda há muita coisa para mudar, pois o negro ainda tem desvantagem. “os diretores têm que olhar para os atores negros e passar a velos como atores comum”. Para ele a única diferença entre os atores negros e brancos, são as oportunidades. Pois no momento que ambos tiverem oportunidades iguais, esse assunto não vai ser mais debatido.  

Essa conversa levantou a importância sobre a luta dos negros e de LGBTs por representatividade. Carla Elgert comenta que último teste que ela fez para atuar, quem passou foi uma atriz negra. Ela se sentiu feliz e orgulhosa.  

Após o término da conversa o público teve o privilégio de poder fazer perguntas e tirar suas dúvidas sobre os curtas metragens exibidos na noite. Nessa conversa as pessoas conseguiram informações e dicas de como ambos contracenam e dirigem no cinema. Ao término dessas perguntas, os convidados foram bastante aplaudidos pela plateia. 

 

Texto Juliana de Brito

Deixe uma resposta