Homenageada revela suas impressões sobre Festival

Teve emoção, produções de alto nível, troca de ideias entre cineastas e público. O Festival Santa Cruz de Cinema foi um sucesso e motivo de orgulho também para a homenageada desta primeira edição, Liliana Sulzbach. A cineasta atua há mais de duas décadas no mercado audiovisual. Já trabalhou com a produção e a direção de longas e curtas metragens e séries para o cinema e a televisão.

Seu discurso, na noite de premiação do evento, emocionou a todos e arrancou aplausos da plateia. Liliana provocou uma reflexão sobre as incertezas e angústias que perpassam àqueles que trabalham com o mercado audiovisual. Também, ressaltou a relevância da dramaturgia para a construção da identidade e como espaço onde as pessoas possam reconhecer sua história e construir um imaginário seu. “É através dela que a gente forma nosso caráter, consciência e identidade. No momento em que não se tem isso, se acaba importando esse tipo de coisa e se submetendo a um regime, não só cultural, mas também econômico e de valores, que não são os nossos”, explica.

Ao estar em Santa Cruz do Sul, Liliana se sente em casa. Apesar de ter nascido em Blumenau (SC), se reconhece como santa-cruzense. Para ela é um privilégio ter sido escolhida como homenageada do evento. “Isso diz muito para mim, porque a gente quer, de uma certa maneira, ser reconhecida naquele lugar de onde a gente saiu. É muito mais importante do que qualquer outra honraria que eu poderia ganhar”, afirma.

Feliz com o sucesso do Festival, Liliana revela sua surpresa em ver o público participando das atividades e assistindo as exibições dos curtas, tanto à tarde como à noite. “Significa que existem pessoas interessadas. Tem essa demanda. Então, temos que nos esforçar para oferecer isso ao público”, conta. Para a cineasta é essencial saber como tocar as pessoas com o cinema e através de qual estímulo alcança-las.

Na noite de encerramento do evento, ela recebeu o troféu Tipuana, como forma de reconhecimento, e foi homenageada com a exibição de algumas de suas produções na telona do Festival.

Texto: Taliana Hickmann
Foto: Juliana de Brito

Deixe uma resposta