Criado na edição de 2019 o Prêmio Tuio Becker tem o objetivo de contemplar personalidades relevantes para o cinema nacional.

 

O 3º Festival Santa Cruz de cinema anunciou hoje, 21 de agosto, quem irá receber o Prêmio Tuio Becker, que contempla personalidades relevantes para o cinema nacional. A homenagem foi criada na edição de 2019 e o primeiro artista destacado foi Leandro Firmino. Em 2020 são os jovens Filipe Matzembacher e Marcio Reolon – diretores, roteiristas e produtores porto-alegrenses, que serão premiados.

Além de diversos curtas-metragens, Filipe e Marcio dirigiram videoclipes e minisséries para televisão. Seu primeiro filme de longa-metragem, Beira-Mar, estreou no Festival de Berlim. Também lançado no Festival de Berlim, em 2018, o segundo longa-metragem dos realizadores, Tinta Bruta, recebeu no total mais de 30 prêmios nacionais e internacionais. Sendo referências importantes no cinema Queer, os jovens integraram o júri Queer Palm no Festival de Cannes de 2019.

Segundo o organizador do Festival Santa Cruz de Cinema e sócio da Pé de Coelho Filmes, Diego Tafarel, a escolha por premiar Filipe e Márcio ocorreu porque “eles são cineastas da nova geração muito relevantes para o cinema gaúcho e brasileiro. Certamente encontrariam espaços nas palavras de Tuio Becker, que foi um grande crítico cinematográfico e partilhava esse amor pelo cinema”.

Sobre Tuio Becker:

Luiz Fernando Becker, mais conhecido como Tuio Becker, nasceu em 1943 em uma casa próxima a uma sala de cinema que existia no salão da Sociedade Ginástica, no centro de Santa Cruz do Sul. Essa pode ter sido sua primeira conexão com o cinema, mas muitas outras foram surgindo com o tempo. Após assistir diversos filmes, aos 17 anos publicou sua primeira coluna de crítica cinematográfica. Em 1966 mudou-se para Porto Alegre, onde passou a atuar como crítico de cinema em jornais gaúchos. Suas colunas sempre davam espaço para as produções de curta-metragem. Sendo apaixonado por cinema, Tuio também atuou como roteirista e diretor. Após uma carreira brilhante o crítico faleceu em 2008 por complicações da doença de Alzheimer.